segunda-feira, 11 de maio de 2009

Criatividade + Inventividade

O grande desafio para o inovador está em desenvolver soluções criativas do que é importante para os clientes. Para os clientes basicamente o que é importante são as tarefas que deseja realizar. A oportunidade de inovação está nas circunstâncias cridas pela falta ou pelos produtos / serviços existentes que não estão dando conta ou exigem deles além do que podem suportar, seja pelo preço, habilidade exigida para realizar a tarefa, ou também produtos e seviços que estão muito acima ou muito abaixo das expectativas dos clientes. Identificar estas tarefas prioritárias a serem realizadas é a chave para ter sucesso e maior previsibilidade na criação de produtos inovadores.

Existe uma grande gama de métodos e sistemáticas que podem ajudar o inovador solucionar este tipo de problema. As boas práticas recomendam trabalhar com métodos de geração de idéias e o uso de informação de várias fontes (P&D, engenharia, produção e marketing). Os serviços de inteligência competitiva e de marketing são de grande ajuda no processo.

A própria formação de equipes multidisciplinares facilita os fluxos de dados e garante que a informação receba a filtragem e interpretação adequada. Fornecedores e parceiros externos são fontes valiosas de criatividade e informação relevante. O trabalho de equipe multidisciplinar sempre foi um conceito básico e acho que deveria ser o primeiro que se deve aprender quando se estuda desenvolvimento de novos produtos. Este é um tipo de disciplina que deveria ser ensinada com turmas de notória diversidade. A prática aponta que é bom ter turmas com representantes da engenharia, produção, marketing e finanças. As equipes multifuncionais servem como catalisadores no processo de solução de problemas.

Entre os principais métodos de criatividade disponíveis temos o clássico “brainstorming”. Por muito tempo tenho usado este método no meu trabalho. Quem observa como a IDEO (Empresa de negócios em Design) usa o brainstorming, verifica que se pode melhorar muito como utilizar a ferramenta. Para ver a diferença recomendo ver o filme do Deep Dive no canal ABC e ler o livro “A Arte da Inovação” de Tom Kelley.

Outro método que aprendi na universidade é a matriz de análise morfológica. Como engenheiro mecânico sou um adepto a este método, não é uma maravilha mais ajuda. Mais um e alias muito interessante pelo aprofundamento na questão da multidisciplinaridade é a o método Sinética, que deriva do grego e significa juntar elementos diferentes, aparentemente não relacionados entre si. Para maiores detalhes recomendo o livro "Projeto de Produto" de Mike Basxter. Uma nova abordagem e que está dando o que falar é a Biomimicry, no próximo post apresento melhor a sua origem o propósito.

A maioria dos métodos de trabalho com foco criativo tem como base alguns princípios:

  • Estabelecer abertura e participação
  • Encorajar muitas e diversas idéias
  • Construir mais idéias sobre as idéias de cada um no grupo
  • Orientado ao problema
  • Usar um líder para guiar a discussões

As pesquisas têm avançado e contribuído para propor para melhorar nossa capacidade de inventar, afirmando que ela pode ser ensinada e tratada como um método sistemático. A TRIZ é uma destas ferramentas que explora o componente da criatividade voltada a solucionar problemas, inventando soluções. A TRIZ é uma criação de G. S. Altshuller, 1926 - 1998. Na definição de Savransky (2000): "TRIZ é uma metodologia sistemática, orientada ao ser humano, baseada em conhecimento, para a solução inventiva de problemas." De acordo com Altshuller, problemas inventivos são um tipo especial de problemas - aqueles que contém contradições. Professor Marco Aurélio de Carvalho do CEFET é um dos poucos que entende deste assunto no Brasil.

Existem algumas variantes da TRIZ que tentam simplificar a coisa. A que mais se destaca é o pensamento inventivo sistemático (SIT). Os professores e consultores Jacob Goldenberg, Roni Horowitz.Desenvolveram e o apresentam e a vendem através de vários trabalhos, ver artigo na Harvar Business Review de março de 2003 (Inovação no ponto certo). A proposta busca simplicar o processo inventivo, porém mostra ser poderosa.