quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Vamos sentir falta de Steve Jobs

Milionário aos 20 anos, afastado da Apple aos 30 e um retorno para salvar sua empresa aos 40 anos. Agora aos 50 sai devido a um câncer no pâncreas. Vamos sentir falta de Steve Jobs e suas maravilhas. O mercado não perdoa, quase que imediatamente o preço das ações da Apple já mostram isto, quedas de 6% no primeiro dia da notícia. Por outro lado se notou um crescimento no valor das ações das concorrentes, por enquanto as Koreanas Sansung e LG. Interessante!, a teoria por traz da Migração de Valor de Slywotzky se mostra claramente nestes fatos. O conceito de Slywotzky diz que o valor não desaparece este migra de modelos de negócio em processo de obsolescência para modelos mais capazes.

O modelo de negócio da Apple está fundamentada na sua proposta de valor de oferecer produtos exclusivos nunca pensados (visionários). Com um design invejável, belo e simples, com a meta de alcançar o absoluto entre função, forma e necessidade.

[SB10001424052748703396604576087822749141458]
Os Steves Jobs e seu parceiro (o gênio) Wozniak

Não sei vocês mais acho Steve Jobs é único e insubstituível. Não é bom dizer isso de ser insubstituível, mas a Apple terá que ser recriada para alcançar seu desempenho atual. O novo CEO Tim Cook, é um cara de operações, competente, workaholic e com um discurso Apple, mas absolutamente não é um Steve Jobs.

Sempre faço um paralelo a duas empresas (Apple e Sony) que mudaram o mundo e com quase o mesmo sistema operacional de inovação. Dependência profunda no seu líder visionário que tem uma percepção aguçada do que o mercado vai querer ou mesmo desejar e consequentemente vai pagar muito bem por isso.

Vejam o caso da Sony após Akio Morita sair, em que a atual Sony se tornou ? Mais um rival no mundo dos produtos eletrônicos. É diferenciada mais não é a mesma, perdeu a sua liderança e o oceano azul que erá somente da Sony.

Akio Morita e seu parceiro inseparável (o gênio) Masaro Ibuka